Sábado

18.NOV

BOM DIA

Artigos
Busca:

Dificuldade de Aprendizagem e Família

Autor: Eleusa Tenório - Psicopedagoga Clínica


Sabemos que estamos em processo continuo de construção que se iniciou no momento da concepção, passando pela vida intra-uterina e se prolongando até hoje.
A aprendizagem, inserida nesse contexto, torna-se sinônimo de construção e também se inicia antes do nascimento na busca de um equilíbrio entre o ambiente e si mesmo. E é no seio desse processo que armazenamos experiências e sensações que podem ser acessadas sempre que a situação assim exigir, fazendo surgir diversas modalidades de funcionamento na vida e portanto na aprendizagem.
Podemos afirmar que o “Vínculo” é a principal aprendizagem de nossa vida. É ele que definirá todas as nossas relações com o mundo, com os nossos próprios desejos, com os outros. Afirmamos também que os primeiros vínculos entre bebê e mãe (antes e após o nascimento) servirão como matriz de funcionamento.
A família entra nessa formação do ser humano por ser nela em que ocorrem os primeiros processos de vinculação e portanto as primeiras aprendizagens.
Podemos agora visualizar claramente o papel da família na formação e desenvolvimento do ser humano e em suas modalidades de aprendizagem.
A nossa modalidade de aprendizagem se forma diante de diversas influências: orgânicas, emocionais, relacionais, vinculares etc. e portanto a psicopedagogia, que estuda o processo de aprendizagem, tem também que recorrer ao funcionamento familiar do sujeito e muitas vezes avaliar as dificuldades de aprendizagem dentro deste contexto.
Alicia Fernandez nos diz:
“Se pensarmos no problema de aprendizagem como só derivado do organismo ou só derivado da inteligência, para sua cura não haverá necessidade de recorrer à família. Se, ao contrário, as patologias no aprender surgissem na criança ou adolescente somente a partir de sua função equilibradora do sistema familiar, não necessitaríamos, para seu diagnóstico e cura, recorrer ao sujeito separadamente de sua família. Ao considerar sintoma como resultante da articulação construtiva do organismo, corpo, inteligência e a estrutura do desejo, incluído no meio familiar (e determinado por ele) no qual seu sintoma tem sentido e funcionalidade... é que podemos observar o possível “atrape” da inteligência..” (pg. 98)

Consideramos a Dificuldade de Aprendizagem numa visão muito ampla, com diversas causas que se interlaçam com o sistema familiar, educacional e social e que se manifesta no fracasso escolar.
O sintoma que surge com a dificuldade de aprendizagem serve como mensagem e tem uma função dentro do sistema familiar.
Muitas vezes esses sintomas aparecem como instrumentos para uma transformação de um determinado sistema familiar na tentativa de permitir seu ciclo evolutivo, uma vez que a família é um sistema aberto que exige mudanças continuas e reorganizações constantes.
O maior problema ocorre quando a família não observa esses sintomas e continua nos padrões rígidos costumeiros, bloqueando qualquer possibilidade de mudança – Família disfuncional. (Minuchin, 1988).
Nessas famílias não há circulação de conhecimento, não há autonomia, não há individualidade de seus membros. Tudo se centra no padrão rígido de suas crenças.

“Uma família disfuncional é um sistema que respondeu, a estas exigências internas ou externas de mudanças, estereotipando o seu funcionamento. As exigências de mudanças foram contrapostas por uma concretização de uma estrutura familiar. Os padrões transacionais costumeiros foram preservados até o ponto de rigidez, que bloqueia qualquer possibilidade de alternativas. Eleger uma pessoa para ser o problema é um método simples de manter uma estrutura familiar rígida, inadequada”. (Minuchin, 1988, p.52)

Diante desta problemática a psicopedagogia busca compreender e identificar as relações vinculares, os mitos, segredos que sustentam a família disfuncional fazendo surgir um campo aberto que permita uma circulação de conhecimento, uma autoria de pensamento, uma aprendizagem saudável que por sua vez possibilitará as transformações naturais do ciclo evolutivo familiar.


BIBLIOGRAFIA
- Krom, Marilene. Família e Mitos. Prevenção e terapia: resgatando histórias. São Paulo, summus, 2000.
- Munhoz, Mª Luiza Puglisi (Org). Questões familiares em temas de psicopedagogia. Cap. 5 A psicopedagogia no contexto familiar - Maria Águeda de Carlo. Coleção Temas de Psicopedagogia, Livro 7.
- Minuchin, S. Família, funcionamento e tratamento. Porto Alegre, Artes Médicas, 1988.
- Polity, Elizabeth. Dificuldade de aprendizagem e família:Construindo novas narrativas, 1ª edição, São paulo, Vetor, 2001.
Pensando as dificuldades de aprendizagem à luz das relações familiares. Psicopedagogia On Line.

WAD