Sábado

18.NOV

BOM DIA

Artigos
Busca:

TDAH - Uma conversa e inúmeros questionamentos

Autor: Eleusa Tenório



Atualmente ouvimos a todo instante mães se questionando e muitas vezes diagnosticando seus filhos como portadores de TDAH. Mas o que seria na realidade isto ?
Antes de comentar sobre TDAH, gostaria de lembrar aos pais que existe nas crianças uma hiperatividade natural da idade; “Criança tem muita energia” já dizia nossos avôs. O problema consiste em achar a linha tênue entre um e outro. Além disso verificamos que a capacidade de atenção não é a mesma em todas as pessoas e também no mesmo indivíduo essa capacidade pode mudar dependendo do momento.
TDAH, Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade é segundo Lou de Olivier um transtorno multifatorial associado a fatores ambientais e genéticos causado provavelmente por alterações no desenvolvimento neuroemocional.
Após muitos estudos e buscas acadêmicas sobre o assunto e unindo a nossa prática podemos afirmar que o TDAH não é tão comum como se propagam.
O índice de crianças e adolescente em idade escolar com esse transtorno é em média de 3 a 6 %. Mas por que será que temos a impressão que as salas de aulas estão divididas entre crianças com TDAH e crianças com dislexia. ?
Muitas vezes uma criança hiperativa precisa apenas brincar. Como está o Brincar de seu filho ?
O deficit de atenção é também a incapacidade de focar em uma só direção, é na realidade uma hiper-atenção ou multi-atenção. Quantos não fazem duas ou três coisas ao mesmo tempo ? Quantas crianças não dão conta do que estamos falando ao mesmo tempo em que estão brincando em seus computadores ?
Não estou querendo aqui dizer que não exista TDAH. Existe e deve ser tratado, porém observamos muitas vezes que crianças com sintomas de TDAH estão apenas se rebelando, querendo chamar atenção para o fato de estarem sendo desatendidas ao invés de desatentas.
O que nos preocupa é essa incidência de diagnósticos, muitas vezes autônomos, dados por uma tia da pré-escola, por professores que não conseguem impor limites em sala ou por nós mesmos quando não agüentamos lidar com a energia de nosso filhos.
Gostaria de lembrar que o diagnóstico do TDAH é realizado de forma multidisciplinar: neurologistas, psicólogos, psicopedagogos e a escola (professores e equipe pedagógica) e a família são participantes inquestionáveis para um diagnóstico preciso.
Não devemos esquecer que estamos em uma época de transição de comportamento, transição de estruturas sócias e tecnológicas, e também genéticas. Há muito mais coisas que nos chamam atenção. Nossa sociedade é hiperativa e desatenta naquilo que produz.
Devemos estar alerta aos desatentos e aos desatendidos, devemos buscar diagnósticos mais precisos, como também devemos nos preocupar com nossa sociedade que tem gerado indivíduos portadores de HIPOATIVIDADE PENSANTE.



BIBLIOGRAFIA
Ciasca, Sylvia M. Distúrbios de aprendizagem e transtornos de atenção: algumas reflexões. Associação Brasileira de Psicopedagogia, 2006.
Olivier, Lou. Distúrbios de aprendizagem e de comportamento. Rio de Janeiro. Wad Ed. 2006.


WAD