Sábado

18.NOV

BOA TARDE



Helena Muniz - membro da SPV
A primeira vez que me perdi de mim, nem percebi. Estava tão assustada, que nem raciocinava. Tratava apenas de reverter a situação. Quase enlouqueci. Nessa época acreditava, que a felicidade estava numa relação. Como estava enganada! Logo me perdi de novo e mais uma vez sofri. E de tanto me perder resolvi inverter a procura. E agora cada vez que me perdia, ía de volta pra dentro de mim, até me achar de novo, até voltar a ser ôvo, e aí me trazia de volta a mim. E com o tempo fui entendendo também, porque eu me perdia tanto, ainda que entretanto me achasse de novo. Descobri que era quando eu aceitava o pouco que você me dava. E me entristecia por isso de novo. Sofria, como sofria. Sentia tanta tristeza que a vida perdia a beleza, a graça e tudo o mais que ela tem de bom. E então, eu entendi que a saída não era você ou nossa relação, mas sim eu com a intensidade da minha emoção, com meu coração pleno, inteiro e forte. Ai que sorte! Finalmente entendi a situação. Então voltei ao começo, aceitei que mereço mais, amor, carinho, atenção, sexo, vibração, intensidade. essa é a verdade. E se você não tiver pra dar ou não quiser, já não é mais preciso, pois há muito já sobrevivo sem isto. Aliás, nem sei porque, ainda estou com você se é comigo que me relaciono. Venho vivendo de mim há muito tempo, sendo eu o meu próprio parceiro, sendo eu o meu próprio companheiro. E há muito tem sido assim. Acho que está na hora de parar de insistir e investir ainda mais em mim, pra ter enfim a vida tal qual concebi. (Julho/2008)

WAD