Sábado

18.NOV

BOA TARDE



membro da SPV - Maria Mariá - Depoimento
Saí hoje meio atordoada, buscava não sei o quê, sentia que era algo que devolvesse meu eixo. Buscava paz..., buscava a compreensão de tudo que se chama vida, tentava entender atitudes humanas, a perda dos valores humanos. Buscava entender a força que os bens materiais exercem sobre algumas pessoas, o quanto eles as transforma, o quanto eles são devastadores para alguns. Buscava entender os meus valores, se realmente vale a pena permanecer com eles, e encontrei respostas com a mãe natureza, vindas do vento, do mar, da areia. O vento não me cobrava nada por embalar meus cabelos, renovar minha respiração. O mar por sua vez, mostrava-me a força com suas ondas e a flexibilidade com seu vai e vem. Mostrava também, que em alguns momentos ficamos assim, sem saber se vamos ou ficamos, porém sempre em movimento e percebi que posso até me permitir ficar como as ondas, indo e voltando mas nunca estática. A areia apesar do vai e vem das ondas, se adaptava à forma como elas chegavam, contudo sempre firme. E a onda vinha com o reflexo dourado dos raios de sol, como que dizendo: "há sempre uma luz", e eu, fui embora, entendendo um pouco mais ... ao entardecer voltei, sentia-me só; quando vi uma estrela lá no céu, ela me acompanhava. Nesse momento senti que não estavá só. Do lado direito havia a estrela e do lado esquerdo um fio de lua brilhava. Então a solidão não teve mais espaço, não era mais minha companheira. Senti meu corpo respirar e tinha um cheiro ... era o cheiro da VIDA. (agosto/2008)

WAD