Sábado

18.NOV

BOM DIA



Fernando campos - membro da SPV
Vou falar um pouco de mim, não que eu esteja muito a fim, mas...é um exercício terapêutico, desses que a gente tem que encarar, pra renovar o tal "padrão viciado", que vem lá do passado, interferindo no presente. Sim, sim, estou ciente! E por isso me submeto, e me meto a fazer poemas sem fim. E assim, vou crescendo e até já consegui o impossível: encarar de frente o medo reprimido, de não ser amado, de não ser querido, de ficar aflito, muito aflito quando começo a gostar de alguém. Percebi que ser abandonado está além do meu controle e que pasmem: eu não morro! sofro, sofro, me encolho, mas não morro! e o fato é que de fato dou a volta por cima e ainda sou capaz de amar de novo. Agora só basta fixar, a "emoção antídoto" e nela me aninhar, quando a vida levar de mim alguém querido. (agosto/2008) ******** nota da terapêuta: "emoção antídoto" é um termo da Reorganização Funcional que significa a emoção que cura a ferida emocional que gera sensações desagradáveis fixadas.

WAD