Quinta-Feira

22.JUN

BOA NOITE



A Reorganização das Funções do Organísmo pelo Movimento é uma técnica terapêutica que vem sendo construída no decorrer de 30 anos de prática clínica. Ela parte das proposições iniciais de Freud, fundamenta-se na vasta pesquisa científica de W.Reich e encontra um paralelo na contribuição ao estudo da forma de Stanley Keleman. Trabalha o aspecto mental e o corporal como duas manifestações simultâneas do organismo humano.

O aspecto mental por sua vez é trabalhado de duas formas:

- pela terapia individual - espaço analítico profundo no qual é identificado o padrão de funcionamento cronicamente fixado no organismo, sua origem, a finalidade defensiva anacrônica, que ele vem cumprindo ao longo da vida do paciente, bem como sua conseqüente limitação para sua expressão. Promove ainda a flexibilização desse padrão e o desenvolvimento de outros mais adequados às necessidades atuais do paciente.

- e também pelo que chamamos de Encontro de Cidadãos – reuniões periódicas, nas quais os pacientes tomam conhecimento, discutem e transpõem para o dia a dia de suas vidas, a obra de W.Reich.

O aspecto corporal envolve num primeiro momento, a identificação desse padrão crônico de funcionamento defensivo, que no corpo assume a forma de tensionamento muscular. Depois promove a flexibilização ou mesmo desconstrução desse padrão, e a sustentação na estrutura corporal do fluxo da emoção subjacente anacrônica que estava protegida pelo bloqueio. E aí então, com a energia que se tornou disponível, serão construídas as novas formas de funcionamento.
O desbloqueio se dá através de movimentos específicos aliados ao aumento da capacidade inspiratória.
A finalidade é desbloquear funções naturais que estavam indisponíveis, impossibilitadas de se manifestar, por conta do funcionamento defensivo crônico tomar para si, a energia em fluxo do organismo e usa-la na função de bloqueio.

Salientamos ainda que essa terapia se dá no campo relacional, que é constituído de duas variáveis: o organismo do paciente com seu comprometimento com a terapia e suas questões transferenciais (inerentes a qualquer processo terapêutico) e o organismo do terapeuta com sua capacidade de vínculo e sua consistência técnica.
WAD